somos todos humanos e outros blá blá blás

Este post, com alguns dias de antecedência, é para você que vai começar a postar que não devia existir um dia da Consciência Negra, que devia ser dia da Consciência Humana, que somos todos iguais, e coisas afins. Como prefácio, gostaria de tomar a liberdade de auto-referência e me-auto-samplear-a-mim-mesma: 

Dito isso, quero pedir-lhes encarecidamente que permitam que esse dia exista, e que a gente o celebre com o nome que lhe foi dado, tá? Ele não invalida de forma alguma o fato de sermos todos humanos. Posso estar sendo repetitiva, me perdoem se todos já sabem disso, mas no dia 20 de novembro comemoramos o dia da Consciência Negra no Brasil porque foi num 20 de novembro, em 1695, que morreu Zumbi dos Palmares, uma figura deveras importante para os negros brasileiros, um símbolo de resistência e...olha lá...consciência.  Porque só é possível resistir, reivindicar, lutar e mudar a própria situação quando estamos conscientes de quem somos, como nos vemos, o que queremos e como queremos ser vistos e tratados. Daí o Dia da Consciência Negra, entende?

Então, gente, deixa a pessoa celebrar o dia da Consciência Negra em paz, tá? É importante. Acho que uma parte de vocês não se dá conta de como é legal para as crianças negras, por exemplo, se reconhecerem em personagens fortes, positivos, guerreiros, valentes, bonitos, de falarem e descobrirem sobre a própria história, trocar ideias de empoderamento, etc.  Tudo isso acontece nos eventos e atividades do 20 de novembro, caso vocês não saibam. É  mais importante que qualquer celebração do pseudo-fim da escravidão no 13 de maio. É certamente mais importante do que celebrar tudo isso que a gente celebra sem pensar, com festa ou sem festa, feriados que a gente nem sabe o nome ou a razão, aqueles dias em que apenas ficamos felizes por não ter que trabalhar (quem nunca?). E nem importa se o 20 de novembro é feriado ali e não aqui ou acolá, isso realmente não importa. É tão maior que isso...

Então dá licença, pois chegado o dia 20 de novembro eu quero celebrar linda e afro a minha consciência. Negra.

E ainda proponho o seguinte: em vez de compartilhar os velhos memes de "dia da consciência humana" e outros blá-blá-blás, seja um ser humano consciente da sociedade em que vive, e das imensas desigualdades dessa sociedade, e poste sobre personagens importantes para a comunidade negra. Grata.

 

 .

.